Secretaria da Educação mobiliza escolas estaduais para a eleição de líderes de classe

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) está mobilizado as escolas estaduais da capital e do interior para a realização das eleições de líderes de classe, que acontecerão no dia 11 de março. A ação pautada no Programa Líderes de Classe é fundamentada na Constituição do Estado da Bahia e no Estatuto da Juventude e visa o incentivo, o fortalecimento e a valorização da participação dos estudantes na gestão democrática das escolas.

Na semana que antecede o processo eleitoral, os coordenadores pedagógicos estão incentivando os estudantes, indo de sala em sala para que formem as suas chapas, que deverão ser compostas por dois integrantes. Já no dia 11, cada unidade escolar deverá eleger um líder e um vice-líder, por cada turma ativa. Orienta-se que seja garantida a participação de, pelo menos, uma candidatura do sexo feminino dentre os elegíveis. A coordenação pedagógica de cada unidade escolar deverá acompanhar os processos eleitorais e inserir as informações dos eleitos no sistema escolar, no Módulo Líder de Classe, por meio do link (http://estudantes.educacao.ba.gov.br/projetoliderdeclasse).

O coordenador de políticas para a juventude da SEC, Jocivaldo dos Anjos, falou da importância do processo eleitoral nas escolas. “Esta é uma iniciativa que fomenta e estimula o papel de liderança, pois isso contribui para que o estudante participe, efetivamente, nas decisões da escola e, assim, melhore os índices educacionais”, afirmou.

Sobre a função de líder – Os estudantes eleitos nas funções de líder e vice-líder de classe devem ser os interlocutores da turma junto à comunidade escolar, os articuladores e propositores de melhorias para a ambiência na unidade de ensino. O projeto visa, ainda, promover o empoderamento juvenil, fazendo com que os estudantes se envolvam nas ações realizadas nas escolas, contribuindo para a gestão democrática e participativa.

Secretaria da Educação promove encontro territorial sobre o Censo Escolar

Com o objetivo de avaliar a coleta da primeira etapa do Censo Escolar 2019, técnicos dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTEs), que atuaram na obtenção dos dados, participam, até esta quarta-feira (4), de um encontro, no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador. O Censo Escolar da Educação Básica é o mais importante levantamento estatístico educacional brasileiro na área e funciona como uma ferramenta para acompanhar a efetividade das políticas públicas educacionais.

Ao longo da atividade, iniciada nesta terça-feira (3), os técnicos participantes farão um balanço das ações da execução da primeira etapa. Além disso, serão compartilhadas experiências e, também, será feito um alinhamento de práticas para a obtenção de informações. A programação também inclui discussões sobre assuntos como Busca Ativa de estudantes fora da escola, Novo Ensino Médio, Sistema de Avaliação Baiano de Educação (SABE), Sistema de Gestão Escolar (SGE) e outros.

Ao longo da atividade, iniciada nesta terça-feira (3), os técnicos participantes farão um balanço das ações da execução da primeira etapa. Além disso, serão compartilhadas experiências e, também, será feito um alinhamento de práticas para a obtenção de informações. A programação também inclui discussões sobre assuntos como Busca Ativa de estudantes fora da escola, Novo Ensino Médio, Sistema de Avaliação Baiano de Educação (SABE), Sistema de Gestão Escolar (SGE) e outros.

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, participou da abertura do evento e destacou o papel dos técnicos neste trabalho. “A gente tem que fazer este exercício de escuta e é bom quando temos uma equipe competente e qualificada. Agradeço a cada NTE presente e o esforço dos técnicos neste importante trabalho realizado para a coleta dos dados do Censo da Educação em cada território”.

Para a técnica do Núcleo Territorial de Vitória da Conquista (NTE 20), Alame Lopes, o trabalho realizado pelo Censo é essencial para a Educação. “O Censo é muito importante pelo fato de poder melhorar as políticas públicas através das informações obtidas. Quanto mais a gente informa com veracidade os dados, logicamente haverá mais melhorias no campo da Educação”, afirmou.

Mais sobre o Censo – O Censo Escolar é coordenador pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) e realizado em colaboração com as secretarias estaduais e municipais de Educação e com a participação de todas as escolas públicas e privadas do país. A primeira etapa consiste no preenchimento da Matrícula Inicial, quando ocorre a coleta de informações sobre os estabelecimentos de ensino, gestores, turmas, alunos e profissionais escolares em sala de aula. A segunda etapa ocorre com o preenchimento de informações sobre a Situação do Aluno, e considera os dados sobre o movimento e rendimento escolar dos estudantes, ao final do ano letivo.  

Estado abre 10 mil vagas para monitores do programa Mais Estudo

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia divulgou, no Diário Oficial, desta quinta-feira (20), o edital para mais 10 mil vagas do Programa Mais Estudo. O programa contemplará com uma bolsa de R$ 200, por mês, de março a maio, estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental e da 1ª a 4ª séries do Ensino Médio, para que possam dar monitoria em Língua Portuguesa e Matemática aos colegas, contribuindo para o processo de ensino e aprendizagem. O investimento é de R$ 6 milhões nesta primeira etapa do programa para o ano letivo de 2020. 

O governador Rui Costa falou sobre a importância do programa. “O Mais Estudo é um programa que me dá muito orgulho, uma corrente do bem pela educação. Ouvi da estudante Estefany Santos que, estudando para ensinar, se aprende mais. Eu acredito nisso e oriento os estudantes para que procurem a direção das escolas para se inscreverem”, afirmou. Para participar, além de estar regularmente matriculado, o estudante deve ter obtido média igual ou superior a oito na disciplina que pretende atuar como monitor. Além disso, as unidades escolares precisarão fazer a adesão ao programa, preenchendo um formulário disponibilizado no Portal da Educação, mesmo site para que as escolas realizem a inscrição no período de 27 de fevereiro a 4 de março de 2020.  

>> Clique aqui para ler a íntegra do Edital

Também caberá à escola a seleção dos estudantes, bem como mobilizar e registrar, em documento próprio, os professores e/ou articuladores que irão atuar como supervisores dos estudantes monitores. 

Sobre o Mais Estudo O programa foi lançado em 2019, quando foram oferecidas 10 mil vagas e destinados investimentos de R$ 10 milhões. As aulas aconteceram no turno diferente ao qual os estudantes estão matriculados. Com a linguagem própria da juventude, os monitores ajudaram os colegas a desenvolverem seus conhecimentos e habilidades, tanto que já há registros de melhoria nas notas dos envolvidos e de redução da reprovação. Os monitores são acompanhados por professores supervisores e coordenadores pedagógicos.

A estudante Estefany Santos, 16 anos, citada pelo governador Rui Costa, foi uma das monitoras no ano passado, do Centro Estadual de Educação Profissional em Tecnologia da Informação e Comunicação (CEEPTIC), em Lauro de Freitas. Ela falou sobre o significado do projeto: “A valorização do estudante transforma a educação. Poder ajudar os nossos colegas, que são, na maioria, de baixa renda, é contribuir para mudar a realidade deles”. A partilha de conhecimentos motiva a todos os envolvidos no Mais Estudo, como atestou Diego Souza, 16, que fez o 9º ano, em 2019, e foi monitor no Colégio Estadual Governador Otávio Mangabeira, no bairro de Saboeiro, em Salvador. “Este projeto é muito interessante, pois muitos estudantes podem aprender os assuntos de uma forma mais leve, porque nós temos a mesma linguagem e, por conta disso, eles se sentem mais próximos”.

Estudantes realizam avaliação diagnóstica de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências

Estudantes da rede estadual de ensino do 4º e 8º ano do Ensino Fundamental e da 1ª e 2ª série do Ensino Médio realizaram, nesta terça-feira (18), a Avaliação Diagnóstica do Sistema de Avaliação Baiano de Educação (SABE), respondendo a um total de 30 questões dos componentes curriculares de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências. A iniciativa visa fortalecer o processo avaliativo nas unidades escolares, identificando indicadores pedagógicos que subsidiem a atuação da Secretaria da Educação do Estado (SEC) e das escolas nos processos de aprendizagem dos estudantes. Esta é a primeira das sete avaliações que fazem parte do SABE.

A estudante Naiara Santos, 15, 1° ano, do Colégio Estadual Isaias Alves, localizado em Poções, disse que gostou de fazer a avaliação. “Achei essa avaliação muito importante, pois nos ajuda na preparação das disciplinas da escola. Tive um pouco de dificuldade nas questões de Matemática, mas acho que saí bem”, afirmou. As questões da avaliação também foram respondidas pelos estudantes do Centro Educacional Monteiro Lobato, localizado no município de Firmino Alves.

Sobre a avaliação – O SABE foi implantado pela Secretaria da Educação do Estado (SEC), em 2019. Durante o ano, a SEC mobilizou as escolas e a comunidade escolar nas avaliações de Língua Portuguesa e Matemática. Além de subsidiar a atuação da SEC e das escolas nos processos de aprendizagens dos estudantes, o sistema promove uma maior familiarização dos estudantes com diferentes processos avaliativos. As avaliações do SABE se baseiam na matriz do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB).

Estado abre 10 mil vagas para monitores do programa Mais Estudo

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia divulgou, no Diário Oficial, desta quinta-feira (20), o edital para mais 10 mil vagas do Programa Mais Estudo. O programa contemplará com uma bolsa de R$ 200, por mês, de março a maio, estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental e da 1ª a 4ª séries do Ensino Médio, para que possam dar monitoria em Língua Portuguesa e Matemática aos colegas, contribuindo para o processo de ensino e aprendizagem. O investimento é de R$ 6 milhões nesta primeira etapa do programa para o ano letivo de 2020.

O governador Rui Costa falou sobre a importância do programa. “O Mais Estudo é um programa que me dá muito orgulho, uma corrente do bem pela educação. Ouvi da estudante Estefany Santos que, estudando para ensinar, se aprende mais. Eu acredito nisso e oriento os estudantes para que procurem a direção das escolas para se inscreverem”, afirmou. Para participar, além de estar regularmente matriculado, o estudante deve ter obtido média igual ou superior a oito na disciplina que pretende atuar como monitor. Além disso, as unidades escolares precisarão fazer a adesão ao programa, preenchendo um formulário disponibilizado no Portal da Educação, mesmo site para que as escolas realizem a inscrição no período de 27 de fevereiro a 4 de março de 2020.

>> Clique aqui para ler a íntegra do Edital  

Também caberá à escola a seleção dos estudantes, bem como mobilizar e registrar, em documento próprio, os professores e/ou articuladores que irão atuar como supervisores dos estudantes monitores. 

Sobre o Mais Estudo O programa foi lançado em 2019, quando foram oferecidas 10 mil vagas e destinados investimentos de R$ 10 milhões. As aulas aconteceram no turno diferente ao qual os estudantes estão matriculados. Com a linguagem própria da juventude, os monitores ajudaram os colegas a desenvolverem seus conhecimentos e habilidades, tanto que já há registros de melhoria nas notas dos envolvidos e de redução da reprovação. Os monitores são acompanhados por professores supervisores e coordenadores pedagógicos.

A estudante Estefany Santos, 16 anos, citada pelo governador Rui Costa, foi uma das monitoras no ano passado, do Centro Estadual de Educação Profissional em Tecnologia da Informação e Comunicação (CEEPTIC), em Lauro de Freitas. Ela falou sobre o significado do projeto: “A valorização do estudante transforma a educação. Poder ajudar os nossos colegas, que são, na maioria, de baixa renda, é contribuir para mudar a realidade deles”. A partilha de conhecimentos motiva a todos os envolvidos no Mais Estudo, como atestou Diego Souza, 16, que fez o 9º ano, em 2019, e foi monitor no Colégio Estadual Governador Otávio Mangabeira, no bairro de Saboeiro, em Salvador. “Este projeto é muito interessante, pois muitos estudantes podem aprender os assuntos de uma forma mais leve, porque nós temos a mesma linguagem e, por conta disso, eles se sentem mais próximos”.  

 

Prazo para apresentação do Partiu Estágio termina nesta quinta-feira (20)

Os 847 estudantes universitários, da capital e interior do estado, convocados pelo Programa Partiu Estágio, têm até o final desta semana para realizar a entrega da documentação necessária. O prazo para apresentação, iniciado no dia 7 de fevereiro, termina nesta quinta-feira (20). O grupo foi convocado por e-mail, além de mensagens de celular e ligações por telefone, e vai ocupar vagas ofertadas pelo terceiro edital do programa, publicado em setembro de 2019. A lista completa dos selecionados pode ser consultada no site institucional da Secretaria da Administração.

Estudantes que não apresentarem toda a documentação exigida, ou não se apresentarem dentro do prazo estipulado, perderão a vaga de estágio automaticamente. Os selecionados concorreram a uma das 2.838 oportunidades de estágio para 110 cursos de graduação presenciais e EAD de instituições com sede/pólo de ensino na Bahia. Este edital somou mais de 20 mil inscritos. Dúvidas sobre a seleção ou sobre as regras do Programa podem ser encaminhadas para o e-mail partiuestagio@saeb.ba.gov.br.

O Partiu Estágio tem a reserva de 10% das vagas ofertadas para portadores de deficiência física, como o previsto pela Lei 11.788/2008. Sobre o quantitativo de vagas não reservadas, tiveram prioridade universitários inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), seguidos daqueles que tenham estudado todo o ensino médio em escola pública ou com bolsa integral na rede privada. 

O programa é uma iniciativa da administração estadual baiana que garante acesso a oportunidades de estágio a estudantes universitários de instituições EAD e presenciais, estaduais, federais e privadas com sede na Bahia e que ainda não conseguiram se inserir no mercado de trabalho. O contrato de estágio tem duração de um ano, sem possibilidade de prorrogação, exceto quando o estudante é deficiente físico.   

A carga horária é composta de quatro horas diárias de atividades supervisionadas, chegando a 20 horas semanais, distribuídas de acordo com a necessidade da administração pública. Além da bolsa-estágio, os universitários terão direito a auxílio-transporte e 30 dias de recesso remunerado, proporcionais.  

Confira abaixo a documentação necessária:  

• Comprovante de residência • Original e cópia da Carteira de Identidade • Original e cópia do Cadastro de Pessoa Física – CPF • Original e cópia de Carteira de Identidade do representante legal, ou do Termo de Guarda expedida por autoridade judicial, se for o caso •

Declaração da Instituição de Ensino informando semestre letivo, duração do curso, percentual cursado, turno de estudo, curso de formação e sua modalidade presencial (Anexo II do Edital)

• Comprovante de matrícula e frequência da Instituição de Ensino • Declaração própria de que não exerce atividade remunerada em órgão público

• Original e cópia do Título de Eleitor, se for o caso • Original e cópia do Certificado de Reservista, se for o caso

• Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS

• Comprovação de inscrição no CadÚnico, se for o caso • Histórico escolar do Ensino Médio ou declaração emitida pela instituição de nível médio, no caso dos candidatos que tenham sido selecionados pelo critério de ter estudado todo o Ensino Médio em Escola Pública ou como Bolsista integral

• No caso de pessoas portadoras de deficiência, deverá ser apresentado um Relatório Médico comprovando a deficiência.

  FONTE: SAEB

Escolas estaduais realizam nesta terça-feira avaliação diagnóstica de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências

As escolas da rede estadual de ensino de todo o Estado realizam, nesta terça-feira (18), a Avaliação Diagnóstica do Sistema de Avaliação Baiano de Educação (SABE). A iniciativa visa fortalecer o processo avaliativo nas unidades escolares, identificando indicadores pedagógicos que subsidiem a atuação da Secretaria da Educação do Estado e das escolas nos processos de aprendizagem dos estudantes. O público-alvo a ser avaliado no ano letivo de 2020 é formado por estudantes do 4º e 8º ano do Ensino Fundamental e do 1ª e 2ª série do Ensino Médio.

A novidade deste ano é que, além de dez questões de Língua Portuguesa e dez de Matemática, a avaliação também contará com dez questões de Ciências, totalizando 30 questões. As avaliações do SABE se baseiam na matriz do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB).

“A Avaliação Diagnóstica faz o mapeamento da aprendizagem dos estudantes. Esse diagnóstico é muito importante para pautar as atuações pedagógicas, fazendo com que ela seja mais assertiva. Esta avaliação será lançada no sistema sabe online no mês de março, quando ele será disponibilizado”, explicou a assessora técnica da Secretaria da Educação do Estado, Aline Oliveira.

O SABE foi implantado pela Secretaria da Educação do Estado (SEC), em 2019. Durante o ano, a SEC mobilizou as escolas e a comunidade escolar nas avaliações de Língua Portuguesa e Matemática. Além de subsidiar a atuação da SEC e das escolas nos processos de aprendizagens dos estudantes, o sistema promove uma maior familiarização dos estudantes com diferentes processos avaliativos.

Aplicativo fortalece comunicação entre família e escola

Para possibilitar que a família acompanhe cada vez mais de perto a vida escolar de seus filhos e facilitar a vida dos estudantes, professores e gestores nas suas rotinas escolares, a Secretaria da Educação do Estado (SEC) lançou, em 2019, o Aplicativo Escolado. A plataforma é simples, intuitiva e está disponível para download no Play Store. Inicialmente, oferta quatro módulos específicos para o acesso dos professores, diretores escolares, estudantes e familiares.

Com esta ferramenta, professores, gestores escolares, estudantes e familiares têm acesso a informações do dia a dia da escola na palma da mão, o que contribui para um cotidiano escolar com mais rapidez, eficiência e qualidade. “A proposta do app é contribuir para qualificar as políticas públicas educacionais e melhorar a aprendizagem dos estudantes”, afirmou o assessor de planejamento e gestão da Secretaria da Educação do Estado, Matteus Guimarães Martins.

O aplicativo se apresenta como uma solução integrada que visa fortalecer os elos de cada componente da comunidade escolar. Desta forma, o app facilita as atividades diárias dos professores e gestores, provendo informações sobre a educação e a comunicação entre a coordenação pedagógica e a família, bem como proporcionando os dados diários da vida escolar dos estudantes. Outra vantagem é a gestão da informação on-line pela SEC.

Pelo app, o professor pode lançar notas e frequência; acompanhar seus processos ativos na SEC; obter o histórico funcional e seus horários diários de aula por turma; e ter acesso aos conteúdos educacionais e informações sobre eventos, atividades e projetos. Os estudantes e as famílias, no caso, podem acessar nota, frequência, boletim e horário de aula. Já os gestores têm acesso a todas as informações do dia a dia da escola, obtendo maior controle dos processos, de modo a qualificar a gestão e facilitar a tomada de decisão.

Bahia Olímpica mobiliza estudantes de escolas baianas

Através do Bahia Olímpica, a Secretaria da Educação do Estado potencializa a participação dos estudantes da rede estadual nas olimpíadas nacionais e estaduais em diversas áreas do conhecimento. O objetivo da ação é estimular a participação e dar visibilidade ao conhecimento e às potencialidades dos estudantes. Nesse início de ano, as escolas já estão sendo mobilizadas para as olimpíadas de Matemática, História do Brasil, Astronomia e Aeronáutica e Biologia, que estão com inscrições abertas. 

Fiquem atentos aos prazos de inscrição: 

Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas – OBMEP Site oficial: www.obmep.org.br Início das inscrições: 10 de fevereiro Término das inscrições: 20 de março

Olimpíada Nacional em História do Brasil Site oficial: https://www.olimpiadadehistoria.com.br/ Início das inscrições: 03 de fevereiro Término das inscrições: 24 de abril

Olimpíada Brasileira de Astronomia e Aeronáutica Site oficial: http://www.oba.org.br/site/ Início das inscrições: 21 de janeiro Término das inscrições: 15 de março

Olimpíada Brasileira de Biologia Site oficial: http://www.olimpiadasdebiologia.butantan.gov.br/# Início das inscrições: 10 de fevereiro Término das inscrições: 10 de março

Mobilização  Considerando as redes estadual, municipais, particular e federal, a Bahia teve, em 2019, um total de 1.355 estudantes premiados, sendo 245 ouros, 410 pratas, 700 bronzes e 1.941 menções honrosas. Um exemplo de participação é o Colégio Estadual Governador Roberto Santos, no município de Paripiranga, que teve 12 estudantes de quatro equipes finalistas na 11ª Olímpiada Nacional em História do Brasil (ONHB), realizada em agosto, na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), em Campinas, São Paulo. Três estudantes da equipe Tríplice Aliança ganharam a medalha de bronze. O estudante Luis Victor Pimentel, 16, 3º ano, falou sobre a conquista. “Participar da olimpíada foi uma experiência inesquecível, pois, além de sermos premiados, trocamos conhecimento, fizemos amizades e conhecemos outro Estado”, afirmou.

A professora de História e orientadora dos estudantes, Elisa Ribeiro, falou sobre a importância de ter quatro equipes na competição. “Começamos com 14 equipes na escola e que chegaram até a última fase, para a qual foram classificadas quatro. Isso é muito gratificante, pois mostramos para o país que existe um trabalho de qualidade sendo feito na rede estadual de ensino da Bahia”.

EMITEC beneficia estudantes de áreas remotas da Bahia

Por meio do Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITEC), o Estado garante o acesso à educação aos estudantes que moram em áreas remotas da Bahia. Em 2019, o EMITEC atendeu a 18.107 estudantes de 133 municípios, totalizando 1.076 turmas. Desde 2011, quando foi implantado, o EMITEC já formou mais de 32 mil estudantes.   

O EMITEC faz uso de uma rede de serviços de comunicação multimídia, integrando dados, voz e imagem como alternativa pedagógica para atender a jovens e adultos que moram em localidades distantes ou de difícil acesso, onde não há oferta do Ensino Médio. As aulas são transmitidas via satélite e em tempo real, a partir dos estúdios de TV instalados no Instituto Anísio Teixeira, para 351 localidades afastadas dos centros urbanos. Os estudantes acompanham as aulas e tiram dúvidas com auxílio de um mediador e com a vantagem de estarem perto de suas casas. 

A estudante Viviane Barreto de Sena, 20 anos, moradora de Lagoa Bonita, distrito de Buritirama, está no 2º ano do EMITEC. Ela assiste as aulas no Centro de Ensino Estevo Moreira dos Santos e falou sobre a experiência. “Moro bem próximo da escola e o EMITEC facilitou muito para os estudantes da comunidade, principalmente para mim, pois sou casada e tenho um filho de dois anos e preciso ficar perto dele”, afirmou.

Juliana da Silva Souza, 16, 2º ano, mora e estuda no povoado de Pirajá, distrito de Itamaraju, na Escola Municipal Eraldo Tinoco. “Levo 15 minutos para chegar na escola, onde tenho aulas através do EMITEC. Sem este acesso eu levaria em torno de uma hora de viagem para estudar na cidade mais próxima, que é Itamaraju. Graças ao EMITEC, posso ter um estudo excelente, com ótimos professores, sem ter que deixar a minha casa”.