Complexo Integrado de Educação de Porto Seguro promove atividade de acolhimento para o ano letivo

ceeO ano letivo 2018 na rede estadual de ensino começa na segunda-feira (19), mas o Complexo Integrado de Educação (CIE) de Porto Seguro, a 707 Km de Salvador, no Extremo Sul do Estado, já abriu as portas para os estudantes. A ação chamada “Dias de Acolhimento” foi realizada, nestas quinta e sexta-feira (14 e 15), com a proposta de apresentar a unidade escolar para os novos alunos e promover a integração com os veteranos e a comunidade escolar.
Na programação, brincadeiras interativas, gincanas, leitura de textos temáticos e exibição de filmes em sala de aula e jogo de perguntas e respostas sobre conhecimentos gerais. “Ocupamos todos os espaços do Complexo, trabalhando com equipes mistas, para promover a integração de todos os alunos, porque a ideia é que eles se misturem mesmo e se conheçam. Fizemos, também, uma apresentação cultural com dois ex-alunos nossos, que realizaram um número de dança coreografada”, contou a coordenadora pedagógica do CIE Porto Seguro, Alessandra Tito.
Júlio da Silva, 19, 2º ano, estudante da unidade disse que adorou a integração. “É uma ótima iniciativa do colégio. Começaremos o ano letivo respeitando, conhecendo todos e interagindo bem. Gostei muito do jogo de perguntas e respostas, porque aconteceu uma interação muito boa com os alunos novos”, comemora.
Já Calliandra Gusmão, 19, 1º ano, entrou no CIE de Porto Seguro este ano e está animada para aproveitar as oficinas e os projetos ofertados. “Logo de início eu pensei que seria chato estudar em uma escola de tempo integral, mas já me apresentaram várias oficinas e projetos que achei interessante e já me despertou o interesse de aprender várias coisas. Estou achando que será bem legal e produtivo passar o dia aqui. Fiquei surpresa com a atividade de acolhimento, que é muito interessante”, comentou.

Secretaria da Educação convoca professores classificados no Processo Seletivo de Remoção 2017

IMG-20180205-WA0046
A Secretaria da Educação do Estado da Bahia publicou, nesta sexta-feira (16), no Diário Oficial (DO), a convocação do processo seletivo para a remoção de professores e coordenadores pedagógicos dos Ensinos Fundamental e Médio que desejam transferência de escola.
Os convocados têm cinco dias úteis para comparecer aos seus respectivos Núcleos Territoriais de Educação (NTE) de origem para confirmar a opção de vagas disponibilizadas. Os professores e coordenadores pedagógicos vinculados ao NTE 26 devem se dirigir à sala 138, 1º andar, da Secretaria da Educação do Estado, no Centro Administrativo da Bahia.
O objetivo da ação é normatizar o sistema de remoções e reajustar o quadro do magistério da rede estadual de ensino, respeitando os direitos dos professores e sem comprometer a continuidade do serviço.

Candidatos recebem cartões de identificação para o concurso público da Educação

IMG-20180206-WA0028
Os cartões de identificação dos candidatos inscritos no concurso público para professor e coordenador pedagógico da rede estadual de ensino já estão disponíveis. O documento com os locais onde serão realizadas as provas, no dia 25 de fevereiro, foi encaminhado para o e-mail cadastrado no formulário de inscrição e, também, pode ser visualizado no portal da Fundação Carlos Chagas. No documento, será possível visualizar o número da inscrição, endereço onde a prova será aplicada, o horário, a data e o número da sala. O concurso, promovido pelas secretarias estaduais da Educação e da Administração (SAEB), oferece 3.760 vagas, sendo 3.096 para professores e 664 para coordenadores pedagógicos da rede estadual de ensino.
Ao todo foram inscritos 103,5 mil candidatos. Os portões serão abertos às 8h30 e fechados às 9h (horário local). As provas terão duração de 4h30 para candidatos ao cargo professor e de 3h30 para coordenador pedagógico. O candidato deverá comparecer ao local munido de caneta esferográfica de material transparente de tinta preta ou azul.
As provas serão aplicadas nas cidades de Alagoinhas, Amargosa, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Caetité, Eunápolis, Feira de Santana, Guanambi, Ipirá, Irecê, Itaberaba, Itabuna, Itapetinga, Jacobina, Juazeiro, Jequié, Macaúbas, Paulo Afonso, Ribeira do Pombal, Salvador, Santa Maria da Vitória, Seabra, Serrinha, Santo Antônio de Jesus, Senhor do Bonfim, Teixeira de Freitas, Valença e Vitória da Conquista, conforme opção indicada pelo candidato no ato da inscrição.
Somente será admitido à sala de provas o candidato que estiver devidamente portando documento de identidade original, que legalmente o identifique, como: Carteiras e/ou Cédulas de Identidade expedidas pelas Secretarias de Segurança Pública, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar, pelo Ministério das Relações Exteriores; Cédula de Identidade para Estrangeiros; Cédulas de Identidade fornecidas por órgãos públicos ou conselhos de classe que, por força de Lei Federal, valham como documento de identidade. É importante levar, também, o cartão de identificação no dia das provas, pois ele contém dados necessários para melhor orientação do candidato.
Provas - O concurso contará com três etapas: provas objetiva, discursiva e de títulos (com previsão para abril de 2018). As vagas para professor são nas áreas de Arte, Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Inglesa, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia, sendo exigida formação específica e diploma concedido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). Para coordenador pedagógico é exigida formação em Pedagogia, também com reconhecimento do MEC. Em todos os casos, a carga horária semanal é de 40 horas.

Jornada Pedagógica reforça planejamento coletivo para o fortalecimento pedagógico nas escolas

jornada-pedagogica-2018-colegio-anisio-teixeira-29Depois de três dias de discussões em torno da Jornada Pedagógica 2018, os professores, coordenadores e gestores das unidades escolares da rede estadual de ensino já vivem a expectativa do início das aulas no próximo dia 19 de fevereiro. Em Salvador e no interior, os educadores participaram ativamente da Jornada Pedagógica, de segunda até esta quarta-feira (7), e realizaram o planejamento do ano letivo a partir do tema: “Aprendizagens e Territórios: Novos Rumos para a Educação do Século 21”. No mês de julho, uma nova etapa da Jornada Pedagógica acontecerá para avaliação, monitoramento e novas construções coletivas direcionadas ao segundo semestre.
O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, que participou da jornada, ressalta que o envolvimento dos professores, coordenadores pedagógicos, dos gestores, técnicos e até das famílias na Jornada Pedagógica em todas as escolas da rede estadual reflete o novo momento da Educação na Bahia. “Estamos fortalecendo o eixo pedagógico das escolas e ofertando novos cursos, inclusive de curta duração, além de um novo perfil de oferta da Educação Profissional e Tecnológica, com o tempo reduzido de quatro para três anos. São ações para dinamizar o ensino e tornar mais atrativo o aprendizado dos estudantes, inclusive potencializando os projetos inovadores de iniciação científica, o ensino das artes com o teatro, música, audiovisual, artes visuais e o empreendedorismo”, afirmou, ao destacar que “esta mobilização da Jornada Pedagógica fortalece o projeto educacional de cada unidade escolar e prepara o ano letivo, considerando, também, o que foi realizado em 2017, sendo que teremos a segunda etapa da Jornada Pedagógica no meio do ano, prática que implantamos no ano passado”, destaca Pinheiro.
Engajamento - Os educadores também fazem uma avaliação da Jornada Pedagógica. O diretor Ramilton Cordeiro, do Colégio Estadual Raphael Serravalle, em Salvador, destaca a participação integral dos professores da unidade. “Tivemos a presença de praticamente todos os nossos educadores e isto dinamizou as discussões que traçamos para a construção de um modelo pedagógico mais leve e mais produtivo. Foi unânime a opinião de que esta foi a jornada mais interessante e participativa de todos os tempos. Tivemos apresentações culturais dos nossos alunos. Foi um sucesso. Estamos prontos para dar início ao novo ano letivo”.
O professor de Língua Francesa da mesma unidade escolar, Lázaro de Melo, ressalta a importância da atualização do Plano Político Pedagógico (PPP) do Serravalle: “É muito importante programarmos o ano letivo, o que vai ser feito durante o percurso. Tivemos discussões importantes em relação ao eixo norteador do nosso colégio, que se refere à uma educação inclusiva com foco na aprendizagem para o fortalecimento social”.
No Colégio Estadual Severino Vieira, também na capital baiana, o clima nos três dias de jornada foi de total participação dos educadores. “Tivemos uma presença maciça dos professores e coordenadores pedagógicos, e isto significa que estavam todos muito comprometidos com a jornada. Também avaliamos os projetos que deram certo em 2017, como o TransformaÊ, da Secretaria da Educação. Outro ponto importante foi a discussão sobre a importância da presença da família na escola para um melhor rendimento do aluno, que é o carro-chefe do nosso trabalho”.
A professora Cristina Menezes, do Colégio Estadual Presidente Médici, em Itabuna, também avalia a jornada. “Foi muito positiva, pois acolheu os vários seguimentos que participam da escola, o que permitiu uma discussão coletiva com vista no planejamento e definição de ações que vão contribuir para um melhor aprendizado dos estudantes”. O diretor do NTE 26 (Salvador), Luiz Henrique Peixoto, que participou das discussões em algumas unidades, como o Colégio Estadual da Bahia (Central) e o Severino Vieira, faz um balanço: “As discussões travadas sobre a contextualização territorial da aprendizagem foram as mais importantes. Destaque também para o diálogo sobre a qualidade da educação no século 21, a partir da inclusão e do respeito à diversidade. Outro debate importante foi sobre medidas para potencializar ainda mais os projetos estruturantes da Secretaria, a exemplo do FACE (Festival Anual da Canção Estudantil), TAL (Tempo de Arte Literária) e AVE (Artes Visuais Estudantis)”.

Educadores do interior discutem a escola e o território no segundo dia da Jornada Pedagógica 2018

IMG-20180205-WA0065
No segundo dia da Jornada Pedagógica 2018, nas escolas do interior da rede estadual de ensino, professores, gestores, coordenadores pedagógicos e técnicos, além de representantes de pais e alunos, discutiram questões voltadas às escolas e aos Territórios de Identidade onde estão inseridas, dentro do tema geral do evento: “Aprendizagens e Territórios: Novos Rumos para a Educação do Século 21”. A jornada prossegue nas escolas estaduais até quarta (7).
Em Itabuna, Litoral Sul baiano (NTE 5), a professora Isabella Costa Melo, membro do Colegiado Escolar do Colégio Estadual de Itabuna, destacou que o tema tratado na Jornada Pedagógica já gerou um projeto que será iniciado no começo do ano letivo. “Definimos que vamos visitar todos os bairros que contemplam a nossa escola para conhecer o Território onde vivem os nossos estudantes e, com isso, possamos trabalhar o tema central com mais propriedade”, afirmou, ao acrescentar que, desde o ano passado, a escola tem estimulado, cada vez mais, a participação e o envolvimento da família no contexto escolar.
No Colégio Estadual Monteiro Lobato, no município de Firmino Alves, ligado ao Núcleo Territorial de Educação de Itapetinga (NTE 8), as comunidades escolar e local dialogaram em torno da contextualização da aprendizagem às potencialidades econômica e cultural do Território. A coordenadora pedagógica Sibele Nery, da Coordenação de Educação Básica do NTE 8, falou sobre a importância do debate para os alunos. “O colégio pode contribuir com a formação de seus estudantes a partir das vocações do nosso Território de Identidade, despertando o interesse dos alunos para esse contexto local”, avaliou.
No NTE 11 (Barreiras), a diretora do Núcleo, Maria Aparecida Vasco Chagas, ressaltou que o tema proposto na Jornada Pedagógica deste ano, enriquece o planejamento coletivo para um ano letivo exitoso. “O clima é de total integração, participação, dinamismo e criatividade, além de incentivo ao protagonismo juvenil. Professores, gestores, estudantes, pais de alunos e membros da comunidade local estão todos empenhados em dialogar a partir do tema geral proposto, visando a ressignificação dos conteúdos, ou seja, da aprendizagem, através da regionalização e da experiência de vida de cada estudante. Ao valorizarmos o contexto em que ele vive, estaremos ressignificando o seu processo de aprendizagem e, consequentemente, o motivando”.

Gestores da Secretaria e dos Núcleos Territoriais de Educação planejam ano letivo 2018

Ozanir

O planejamento do ano letivo 2018 já começou para os diretores dos Núcleos Territoriais de Educação (NTE) e gestores da Secretaria da Educação do Estado. De segunda até esta quarta-feira (18 a 20), os dirigentes participaram do Diálogo com Gestores, levantando as estratégias, ações e metodologias que serão implementadas no próximo ano. A atividade contou com a participação do secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

O Diálogo foi realizado na segunda, em Salvador, e na terça e nesta quarta-feira, no Colégio Estadual Alaor Coutinho, em Praia do Forte. Na pauta do planejamento foram discutidas questões como a implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o novo perfil de oferta e a reestruturação da rede estadual de ensino, considerando as especificidades dos Territórios de Identidade onde as escolas estão inseridas. A atividade inclui, ainda, temáticas como a matrícula, transporte, alimentação escolar e infraestrutura.

O secretário Walter Pinheiro falou que a realização do diálogo com diretores e gestores é fundamental para a Educação. “Precisamos envolver cada vez mais gestores escolares e diretores dos núcleos para buscar a reestruturação da rede, valorizando, inclusive, os projetos que são desenvolvidos nas escolas”, disse, ao citar o projeto Aluno Nota 10, do Colégio Estadual Berilo Vilas Boas, localizado em São José do Jacuípe (a 270 km de Salvador), que premia estudantes pelo comprometimento, desempenho, frequência e disciplina.

“Recebi estes estudantes ontem na Secretaria. Eles demonstram como é possível fazer diferente na escola, que passa a ser um ambiente agradável, estimulador e um caminho de esperança. Estes estudantes são, também, uma demonstração clara da melhoria da qualidade do ensino em todo Estado e, em particular, em São José do Jacuípe, uma pequena cidade cravada no sertão da Bahia”, afirmou.

Ao abordar a implementação da BNCC, Pinheiro destacou a importância do regime de colaboração entre Estado e municípios. “É fundamental este momento de discussão para alinharmos o que vamos fazer com a BNCC e, efetivamente, realizar um melhor planejamento para 2018. Mais do que uma alteração curricular, trata-se de discutir um novo perfil de oferta da rede e a sua reestruturação, para que possamos ter escolas cada vez mais criativas e antenadas com a realidade do novo futuro”, destacou Pinheiro.

Escola do futuro
Durante o diálogo, a educadora Cybeli Amado, do Instituto Chapada de Educação e Pesquisa, falou sobre a “Educação do Século XXI contextualizada nos Territórios de Identidade”. “Para a escola entrar no século XXI vamos assistir ao fim da escola tal qual a conhecemos, ou seja, de uma lógica transmissiva para uma diversidade de formas de acesso ao conhecimento e de uma escola fechada, no seu interior, para o reforço do espaço público da Educação, e do professor individual para o professor colaborativo”, disse, destacando a importância da iniciativa de realização do concurso público na Educação pelo Governo Estado da Bahia.

Gestores NTE

Integração
Divididos em grupos, os gestores do órgão central prestaram esclarecimentos aos dirigentes dos NTE sobre as mais variadas ações e projetos da Secretaria. A diretora do NTE de Senhor do Bonfim (NTE 25), Izabel Cristina Curaçá Gonçalves, falou sobre o efeito da atividade para a gestão territorial. “Ficamos mais próximos um do outro para compreender a realidade de cada território e debater soluções para a melhoria da Educação”, disse.

O superintendente de Políticas para a Educação Básica, Ney Campello, ressaltou que a escola precisa exercer sua autonomia para criar  projetos inovadores e tem, para isso, contado com o apoio e o respaldo da Secretaria. “Estamos num ambiente político e institucional favorável ao processo de transformação. O secretário Walter Pinheiro sempre tem dito ‘deixe a escola fazer, porque a escola sabe fazer’. Então, este é um estímulo que cada gestor escolar precisa e tem recebido da Secretaria, por meio de uma gestão colaborativa”, afirmou, ao citar ações implementadas neste sentido, como a consulta pública para a Jornada Pedagógica de 2018 e o ciclo de 27 seminários territoriais sobre a reforma do Ensino Médio.

Secretaria da Educação debate planejamento estratégico com gestores dos NTE

reuniãoDando prosseguimento à segunda etapa do encontro Diálogos com os Gestores, promovido pela Secretaria da Educação do Estado, superintendentes do órgão central e diretores dos Núcleos Territoriais de Educação (NTE) se reuniram, nesta terça-feira (19/12), no auditório do Colégio Estadual Alaor Coutinho, no município de Mata de São João, para debater o planejamento das ações para 2018. Na oportunidade,  foram também apresentadas as avaliações resultantes de 2017 e discutidas novas metodologias estratégicas.

Segundo o coordenador de Articulação com os Núcleos Territoriais de Educação (CONTE), José Barreto, o objetivo é planejar uma agenda para cada território de identidade. “Estamos apresentando os resultados que conseguimos executar nestes oito meses de criação do setor, tendo em vista as demandas sugeridas pelos próprios núcleos. Além disso, queremos já organizar uma estratégia de ação que contemple cada NTE, levando em conta suas especificidades regionais, sempre atentos às necessidades apontadas pelos gestores do NTE”, destacou.

reuniao1

Já para o superintendente da Educação Profissional e Tecnológica, Durval Libânio, esse momento foi a oportunidade de mostrar o crescimento da oferta de ensino na Bahia. “A Educação Profissional, com seus 11 eixos tecnológicos, tem uma complexidade muito grande, mas em 2017, estamos conseguindo desenvolver uma oferta que seja importante para os estudantes das regiões. Conseguimos realizar a reformulação de 47 currículos matrizes dos nossos cursos para conseguirmos atender melhor à nossa demanda,” ressaltou.

Ainda segundo a diretora de Educação Básica, Edileuza Neris, essa também é uma oportunidade de dialogar sobre o planejamento educacional para o próximo ano. “Também vamos conversar sobre propostas direcionadas para a novas orientações curriculares e reflexões sobre  a jornada pedagógica 2018″, salientou. O encontro, que segue até essa quarta-feira (20), também contou com a participação da superintendente de Gestão da Informação Educacional, Cristiane Ferreira, e do coordenador de Articulação de Projetos para a Educação, Rogério Quintella.

Secretaria promove diálogo sobre a implantação da Base Nacional Comum Curricular

gestores

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia, em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME) e o Movimento pela Base Nacional Comum, inaugurou, nesta segunda-feira (18), a segunda etapa do encontro Diálogos com Gestores. O evento, que prossegue até quarta-feira (20), em Salvador, reúne os 27 gestores dos Núcleos Territoriais de Educação (NTEs), bem como representantes de Secretarias Municipais de Educação e instituições da área educacional, com o objetivo de aprofundar as discussões sobre o planejamento e a implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a partir do regime de colaboração entre Estado e municípios.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, presente ao encontro, falou sobre a importância do debate a partir da aprovação da BNCC, na sexta (15), pelo Conselho Nacional de Educação. “É fundamental este momento de discussão com gestores e coordenadores da Secretaria, junto aos representantes municipais, para alinharmos o que vamos fazer com a BNCC e, efetivamente, realizar um melhor planejamento para 2018. Mais do que uma alteração curricular, trata-se de discutir um novo perfil de oferta da rede e a sua reestruturação, para que possamos ter escolas cada vez mais criativas e antenadas com a realidade do novo futuro”, destacou Pinheiro, ao ressaltar que a implementação deve levar em consideração aspectos territoriais, além de contar com o envolvimento dos municípios a partir do regime de colaboração.

O presidente da UNDIME, Williams Panfile, também destacou a importância do encontro. “Estamos muito felizes, neste momento, por estarmos reunindo com representantes de todos os Territórios de Identidade e da Secretaria da Educação. É um momento único de discussão sobre a Educação da Bahia, entre Estado e municípios. Sabemos que a BNCC não é um currículo, apenas um indicativo, ressaltando que são várias realidades e é importante discutirmos e fortalecermos, cada vez mais, esse regime de colaboração para podermos avançar”.

Representando a Fundação Lemann, que integra o Movimento pela Base Nacional Comum, Henrique Pimentel, frisou a relevância de dar continuidade ao processo da BCNN, que tem previsão de ser homologada no dia 20. “Os Estados já vêm se articulando com os seus municípios para dar seguimento a esse processo de começar a implementação da BNCC. O singular é que não se trata de uma política de gabinete, ou seja, foi construída a muitas mãos, com contribuições de mais de 12 seminários regionais dos 27 Estados, convocados pelos Conselho Nacional da Educação, e que hoje formam este documento que tem como missão promover mais qualidade e equidade no processo de aprendizagem dos estudantes

Debate
Um dos pontos de discussão do seminário foi o regime de colaboração, através do qual cada Estado trabalha com seus municípios para criar as diretrizes curriculares. A ideia dos participantes é chegar a um modelo em que o Estado tenha a sua orientação curricular única e que os municípios o levem como referência para as suas escolas e construam os seus currículos a partir dos seus Projetos Políticos Pedagógicos (PPPs). A diretora do Núcleos Territoriais de Educação 18 (NTE Alagoinhas), Marli Monteiro, destacou que o encontro está sendo uma importante ocasião para a consolidação das discussões que já vêm acontecendo em todo o país e Estados, envolvendo as escolas e os NTEs. “A BNCC, que é fruto de uma ampla discussão, vem para direcionar e fortalecer o nosso trabalho pedagógico. Trata-se de um momento muito importante porque trazem os Núcleos, que estão se empoderando das informações para levar para as escolas”.

Base Nacional
A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) determina os conhecimentos essenciais que todos os estudantes da Educação Básica têm direito de aprender. O documento é um referencial para a construção dos currículos de todas as redes do país, garantindo qualidade e equidade no ensino. Caberá a cada rede decidir, no âmbito de seus currículos, quais as características e especificidades locais, bem como as metodologias e abordagens pedagógicas mais adequadas. Mesmo sendo uma política de Estado, prevista na Lei de Diretrizes e Bases de 1996 e no Plano Nacional de Educação de 2014, a construção do BNCC só começou em 2015, a partir de um processo liderado pelos Conselho Nacional de Secretários de Educação (CONSED), Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME), Conselho Nacional de Educação (CNE) e Ministério da Educação (MEC).

Programação
Na terça (19) e na quarta-feira (20), o Diálogo com Gestores segue, das 8h30 às 18h, no auditório do Colégio Estadual Alaor Coutinho, em Praia do Forte, no município de Mata de São João, para a avaliação e planejamento. A atividade contará com o envolvimento de gestores do órgão central, quando irão tratar dos projetos relacionados ao programa Educar para Transformar, que são desenvolvidos nas escolas da rede estadual.

Convocados do Partiu Estágio têm até 21 de dezembro para se apresentar

Estágio2

Termina na próxima quinta-feira (21) o prazo para apresentação dos convocados do Programa Partiu Estágio. A convocação, divulgada no site da Secretaria da Administração (Saeb) no dia 7 de dezembro, é a terceira chamada do segundo edital do programa e contempla 771 universitários baianos de instituições privadas, federais e estaduais. Os convocados receberam e-mail de convocação na mesma data, com informações sobre a entrega de documentos e em qual órgão deverá se apresentar.

De acordo com o edital do Programa Partiu Estágio, os selecionados têm prazo de dez dias úteis para se apresentarem no local indicado, sob pena de perderem a vaga para a qual foram encaminhados. Ainda é necessário atentar para toda a documentação solicitada: a apresentação parcial dos documentos não assegura a oportunidade de estágio no Governo do Estado. Ao todo, já foram contratados 4.135 estudantes universitários por meio do Partiu Estágio.

O contrato terá duração de um ano, sem possibilidade de prorrogação. As atividades a serem desenvolvidas estarão previstas no Plano de Estágio, documento que será assinado pelo estudante, pela instituição de ensino superior e pelo órgão contratante, juntamente com o Termo de Compromisso de Estágio. A carga horária de atividade é de quatro horas diárias e de 20 horas semanais. Durante a vigência do estágio, o estudante terá direito a bolsa mensal, auxílio-transporte e recesso remunerado proporcional.

Gerido pela Saeb, o programa garante acesso a oportunidades de formação a jovens universitários que ainda não conseguiram se inserir no mercado de trabalho. É prioritário para estudantes inscritos no CadÚnico e para aqueles que tenham estudado todo o ensino médio em escola pública ou com bolsa integral na rede privada. É necessário, entre outras coisas, que o universitário tenha idade mínima de 16 anos e que tenha cumprido pelo menos 50% de sua graduação, desde que ministrada presencialmente por instituição com sede na Bahia.

Documentação:

O estudante deve ficar atento aos documentos exigidos para começar a estagiar. Serão solicitados:

– Comprovante de residência
– Original e cópia da Carteira de Identidade
– Original e cópia do Cadastro de Pessoa Física – CPF
– Original e cópia de carteira de identidade do representante legal ou do termo de guarda expedida por autoridade judicial, se for o caso
– Declaração da instituição de ensino informando o semestre letivo, o turno de estudo, o curso de formação e sua natureza presencial e a conclusão de, no mínimo, 50% do curso
– Comprovante de matrícula e frequência na instituição de ensino
– Declaração própria de que não exerce atividade remunerada em órgão público
– Original e cópia do título de eleitor, se for o caso
– Original e cópia do certificado de reservista, se for o caso
– Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS
– Comprovação de inscrição no CadÚnico, se for o caso
– Histórico escolar do Ensino Médio
– Declaração da escola em que cursou o ensino médio, como bolsista integral, se for o caso
– E-mail convocatório emitido pelo sistema.

Fonte: Ascom/ Secretaria da Administração do Estado (Saeb)

Terminam nesta sexta (15) as inscrições do concurso para professores e coordenadores pedagógicos do Estado

redacao-para-o-enem-2017-profa-marcia-bonfim-2

As inscrições para o concurso público para professores e coordenadores pedagógicos da rede estadual de ensino, promovido pelo Governo do Estado, por meio das Secretarias da Educação e da Administração, terminam às 14h (horário de Brasília), desta sexta-feira (15). São ofertadas 3.760 vagas, sendo 3.096 para professores e 664 para coordenadores pedagógicos. As inscrições, no valor de R$ 100 para ambos os cargos, estão sendo feitas exclusivamente, via internet, pelo site da Fundação Carlos Chagas, empresa responsável pela aplicação das provas.

O concurso será para 40 horas semanais e representa uma das ações estratégias que vêm sendo adotadas pelo Estado para fortalecer o eixo pedagógico nas escolas estaduais. “Este concurso vem sendo esperado há muito tempo pelos educadores e o governador Rui Costa, mesmo diante da situação econômica do país, tomou esta decisão que fortalece o eixo pedagógico das escolas e, consequentemente, a nossa qualidade do ensino”, afirmou o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

Oferta
Uma das novidades deste concurso são as vagas para professores com licenciaturas interdisciplinares em Linguagens e Códigos e suas Tecnologias, Matemática ou licenciatura interdisciplinar em Matemática e Computação e suas Tecnologias. As vagas para professores também contemplam diversas áreas do conhecimento, como por exemplo, os com licenciaturas em Ciência Biológicas, Ciências Naturais, Ciências Humanas, Ciências da Sociedade, Filosofia, Artes, Educação Física, História, Artes e habilitação em Química oriundo de curso superior.

Para coordenador pedagógico, é preciso ter curso de Pedagogia. Tanto para professor quanto para coordenador pedagógico é exigido diploma registrado de conclusão de curso superior de graduação, conforme estabelecido no edital, devidamente registrado, fornecido por Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Aplicação das Provas
O concurso terá três etapas. As provas objetivas (1ª etapa) e discursivas (2º etapa) serão aplicadas no dia 25/02/2018, para todos os cargos, no período da manhã, nas cidades de Alagoinhas, Amargosa, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Caetité, Eunápolis, Feira de Santana, Ipirá, Irecê, Itaberaba, Itabuna, Itapetinga, Jacobina, Juazeiro, Jequié, Macaúbas, Paulo Afonso, Ribeira do Pombal, Salvador, Santa Maria da Vitória, Seabra, Serrinha, Santo Antônio de Jesus, Senhor do Bonfim, Teixeira de Freitas, Valença e Vitória da Conquista. Somente será corrigida a prova discursiva dos candidatos habilitados e melhores classificados nas provas objetivas. A terceira etapa é a prova de títulos, para fins de pontuação dos candidatos habilitados na prova discursiva.